Recap - Episódio 1 - PM and I.

,


Então pessoal, mesmo no meu tempo mais do que curto com as traduções, revisões e afins, resolvi fazer os reviews por episódio de um drama que me contagiou desde o primeiro episódio: Prime Minister and I ou The Prime Minister is Dating.

Primeiro peço desculpas, pois não sou tão experiente em review por episódio, mas andei vendo alguns reviews gringos e aprendi. Vou me esforçar para fazer o melhor que puder. Fighting para mim!

Prime Minister and I chegou como uma lufada de ar para nos tirar da depressão pós-drama – não no bom sentido - causado por Marry Him If You Dare.


Logo no primeiro episódio dá para notar a diferença de idade dos personagens principais, e maior ainda entre os atores Yoona e Lee Bum Soo, o que talvez já faça surgir alguns antipatizantes. Devo confessar que não conhecia o ator LBS, então não sabia como iria ser o desempenho dele, apesar de descobrir que ele é um dos melhores atores da Coréia. 


Já a atuação da Yoona é conhecida desde Love Rain, por isso não tinha tantas expectativas nesse novo drama, já que a atuação dela em LR não me chamou a atenção.


Mas a história que envolve algum tipo de casamento ‘forçado’ sempre chama a atenção e resolvi dá uma chance. Ainda bem, porque me surpreendi – de uma forma boa.

Recap – Episódio 1 – Prime Minister and I


Logo na primeira cena temos uma festa de gala – um banquete do Primeiro Ministro - e nosso querido ‘Enlique’, Yoon Shi Yoon dando as boas vindas para os convidados estrangeiros e nacionais. Depois ele anuncia a entrada do Primeiro Ministro Kwon Yul e em seguida anuncia a esposa do Primeiro Ministro. Daí entra a nossa estrela Yoona, linda em um vestido rosa. Essa cena faz você se perguntar – Mas o que será que está acontecendo? Como assim eles já estão casados? 
Devo admitir, um bom começo.


Depois do anúncio, os dois ficam na frente recebendo todos os flashs como duas celebridades. Então Yoona começa a narração comentando sobre como seu marido é querido por todos os cidadãos e de como é conhecido por sua integridade e honestidade. Os dois sorriem um para o outro e, de repente, Kwon Yul faz uma expressão séria no rosto. Sinceramente, amei essa parte. Na hora em que ele fica sério a gente já percebe que esse casamento é só fachada. E então o que vem depois é mais hilário.


A cena seguinte é a imaginação hilária da Nam Da Jung (Yoona). Enquanto explica que na verdade, quando se trata dela, ele é o mais tirânico e cruel dos homens. A imaginação dela – um tanto exagerada e engraçada - mostra uma luta de artes marciais entre ela e Kwon Yul. Somos transportados um mundo matrix com todas aquelas acrobacias complicadas e até shurikens. Não sei o resto das pessoas que assistiram, mas até esse ponto eu já percebia a química dos atores. E já tinha notado que vinha muita comédia no drama.

Por fim ela fala que aquele absurdo contrato de casamento havia começado há dois meses.
A cena seguinte, claro, nos leva para dois meses antes de tudo aquilo, a fim de explicar a razão pela qual ela se encontrava naquela situação um tanto interessante. 


Ah, por favor, quem não gosta de um bom drama com um contrato de casamento?


Nessa cena descobrimos que a nossa Da Jung é uma repórter paparazzi que trabalha na Scandal’s News, – jornal de escândalos de celebridade - e enquanto ela vai a um restaurante para tentar flagrar uma cantora em algum tipo de escândalo, Kwon Yul – coincidentemente – também se encontra no mesmo restaurante recebendo uma proposta para ser o Primeiro Ministro, já que três indicados não haviam passado na audiência de confirmação. Kown Yul, é claro, aceita e fica combinado que aquela informação não deveria vazar até que a Casa Azul – tipo a Casa Branca dos EUA só que na Coréia – fizesse o anúncio oficial.


Da Jung já do lado de fora consegue o seu furo jornalístico e começa a tirar fotos do affair da cantora. Kown Yul também está do lado de fora se despedindo do representante do governo e depois espera a sua secretária que vai acompanhá-lo. Então, Kown Yul, - com sua audição supersônica ou talvez porque esteja realmente silencioso - escuta o barulho de alguém tirando fotos e o fatídico encontro acontece. Interessante que Kown Yul parece estar preocupado por alguém fotografá-lo, mas ele fica justamente no foco da câmera dando um susto na Da Jung, e claro fazendo com que ela tire uma foto por acidente. Ele fica irritado e tira a câmera da mão dela, dá um sermão por ela estar se intrometendo na vida pessoal das outras pessoas e em seguida apaga a própria foto. Nesse momento, é possível notar a naturalidade com que Da Jung e Kown Yul se tratam, é como se houvesse uma harmonia, uma compatibilidade tangível entre os dois. Enquanto ele é ‘frio’ e racional, como um pai severo – chegando a ser um pouco rude – ela é agradável e até mesmo quando discute é como se tentasse convencê-lo de uma forma mais natural e menos agressiva – mais para uma criança que reclama e ao mesmo tempo mantém o respeito ao pai. Apesar de ter 28 anos, ela parece bem menos bitolada e mais espontânea.


Na cena seguinte somos apresentados a mais dois personagens – o cabelo de grama – quem assistiu I Hear Your Voice vai entender – e outro, o Ministro. Ele parece desgostar da ideia de Kown Yul ter sido nomeado e ele não.

Já Da Jun ao ver a notícia da nomeação logo reconhece Kown Yul. O chefe de Da Jung, então, começa a descrever todas as qualidades do novo nomeado, de como ele é querido por sua honestidade, e admirado pelas mulheres da Coréia. O chefe então propõe a Da Jung entrevistar o nomeado a Primeiro Ministro, e como se trata de um jornal de escândalos, o que ele mais quer saber é se o nomeado Kown Yul pretende se casar de novo e qual o relacionamento dele com sua secretária e apoiadora política de tantos anos. Da Jung então acompanha outros repórteres para a entrevista e em meio a tantas perguntas sérias, ela faz a tal pergunta do casamento. Mais uma vez nossa Da Jung leva outro sermão.

  

Engana-se quem acha que com isso Da Jung vai desistir. É claro que Da Jung não é daquelas que desiste fácil – o que já faz você começar a cair de amores por ela - e quando Kwon Yul sai de carro, ela persegue de moto. Óbvio que ele logo nota a presença dela ao lado do carro, e em um sinal vermelho, ele a convida para entrar e concorda em fazer a entrevista. Ela naturalmente deixa a moto no meio da estrada – o que dá a entender que é completamente normal na Coréia – ou, no mínimo, para ela – e entra no carro.


Da Jung se apresenta como repórter da Scandal’s News. É engraçado que antes da primeira pergunta, ela começa a cheirar Kown Yul – como eu disse, naturalmente atraídos – e então pergunta que tipo de colônia ele usa. É claro que todas as perguntas são sempre desse tipo, já que ela não quer perguntar diretamente qual a relação dele com a secretária. Kown Yul então diz a Da Jung que ela deveria estar mais interessada em saber para onde eles estão indo.


Da Jung é levada para a delegacia. Para tentar se defender, ela diz que sua infração de trânsito – aqui descobrimos que é uma infração deixar a moto no meio da estrada – só tem valor quando em flagrante, e que ele não pode acusá-la de desrespeitá-lo já que ele não é o PM ainda. Então Kown Yul diz que está acusando-a de ser uma stalker. Por essa Da Jung não esperava.


Em seguida, vamos descobrir como nosso Enlique passou a trabalhar com Kwon Yul. Em uma entrevista e com ótimas respostas Kang In Ho é contratado imediatamente. Logo ao sair da sala, Kang se encontra com a Secretária Seo e dá um ar de ser algo além de um rosto bonito, o que faz você se perguntar qual é o real objetivo dele ao trabalhar para o futuro PM. É claro que a secretária parece ter algum tipo de intuição e pergunta a Kown Yul se aquele candidato está realmente bom. Kown Yul responde que sim. Logo em seguida, Kown Yul diz para não deixar a repórter da Scandal’s News se aproximar.


Em seguida, depois da ordem, Da Jung aparece sendo expulsa – ela está disfarçada de faxineira – é claro, alguns repórteres bem arrogantes aproveitam para esnobá-la.
Kwon Yul então recebe uma visita do ministro Park Jun Ki – aquele que parecia descontente com a nomeação – e então descobrimos que esse ministro na verdade é cunhado do futuro PM e por alguma razão parece culpá-lo pela morte da irmã e nutre um profundo ódio por Kown Yul. E aqui temos mais um mistério, já que a esposa de Kown Yul parece ter morrido em um acidente de carro, então como ele seria exatamente o culpado?


Enquanto isso, Da Jung visita o pai em um hospital, e ele parece querer saber quando Da Jung vai se casar, e se ela ainda coloca ‘Meu docinho’ no número dele. Ela diz que é uma boa maneira de afastar os caras já que ela é muito popular com aquela aparência – nada de modéstia, é claro. Então é revelado que o pai de Da Jung tem Alzheimer e que o último desejo dele é acompanhá-la no dia do casamento no corredor da igreja – então prevemos que vamos chorar em algum momento do drama por causa do appa.


No dia seguinte – ou semana, não dá para saber – Da Jung está com o colega de trabalho para conseguir descobrir o relacionamento do futuro PM com a Secretária dele. A estratégia é se aproximar dos filhos de Kwon Yul. Mas, é claro, Da Jung – como uma pessoa de caráter que é – recusa se aproximar das crianças com esse objetivo. Então o que ela faz? Simples, o que qualquer pessoa pensaria em fazer, óbvio. – sqn. Ela vai tentar descobrir alguma coisa bisbilhotando no lixo dele. Claro, que o Chefe Kang dá de cara com ela, e aí vem a cena onde podemos ver a capacidade de falar outros idiomas dos personagens. Da Jun tentando disfarçar começa a cantar em chinês. Kang então fala em chinês – é claro que ele não cai na dela. Mas parece que Da Jung não fala chinês – apenas canta – e então começa a falar em japonês se fazendo de turista e dando a desculpa – onde ela consegue essas desculpas? – de que as latas de lixo no Japão são diferentes das da Coréia. Mas é claro que nosso Enlique tem que mostrar suas habilidades, e para indicar que não acreditou na história dela ele fala inglês e espanhol, mas diz que ela sabe se expressar melhor em coreano. Por essa Da Jung não esperava. – kkkk – É claro que ela não tem mais o que fazer ali e sai. E o Chefe Kang já dá ares de que está curioso sobre Da Jung.

Kown Yul está em seu escritório pensando nas ameaças do cunhado, quando a Secretária aparece dizendo que Man Se – o filho mais novo – desapareceu. Todos parecem procurar por ele sem sucesso. Em outro lugar, Da Jung está desolada andando aleatoriamente na calçada quando encontra quem? O pequeno Man Se implorando por pão a um desconhecido. Da Jung reconhece o menino e percebe que o cara que está com ele é um repórter que também quer saber do relacionamento do futuro PM e da secretária dele. Óbvio que Da Jung se livra do repórter ‘mau’ e diz ao menino que vai levá-lo para casa. No caminho, Man Se quer brincar de balanço e não resta outra saída a Da Jung a não ser acompanhar. O menino de repente começa a chorar pedindo pão, e é justamente quando Kwon Yul aparece. É claro que antes que Da Jung possa explicar o que aconteceu, Kwon Yul dá outro sermão nela injustamente acusando-a de usar uma criança para as reportagens dela. Sim, nessa hora você realmente sente pena dela. Claro, que ao ficar com raiva, ele – como qualquer homem faria – a encosta em um poste e fica bem próximo – afinal, um aviso só é eficaz quando se fica bem próximo e dá a impressão de querer beijá-la ao invés de estar com raiva dela. Mais uma vez, minha teoria da atração natural foi provada. É óbvio que alguém estaria à espreita esperando esse momento de mal entendido para tirar uma foto.


Bem, mais o legal desse drama é que mal-entendidos não duram muito tempo. No dia seguinte, Kown Yul dando mais um dos vários sermões aos filhos descobre a verdade – que Da Jung protegeu Man Se. E claro, ele se sente um pouco arrependido pelo que fez. Como uma compensação, Da Jung é convidada a fazer uma entrevista exclusiva com o futuro PM.

Da Jung então começa a fazer as perguntas e uma delas é bem clara sobre qual o relacionamento ele tem com a Secretária Seo. Antes mesmo que a secretária tenha saído completamente da sala, Kwon Yul nega qualquer tipo de relacionamento amoroso. A secretária fica com aquela cara de Forever Alone que todos nós estamos familiarizados – afinal You Are Beautiful nos ensinou bastante sobre isso. Enfim, Da Jung começa a fazer perguntas simples sobre preferências pessoais, e aos poucos percebemos que Kown Yul e ela têm muitas coisas em comum, como gostar de sorvete de morango. – será que rola uma cena dos dois tomando sorvete?


As perguntas seguintes são relacionadas à família, e então percebemos que Kown Yul não sabe nada sobre seus próprios filhos, recebendo uma nota 0 como pai.

Antes de ir embora, Da Jung entrega um presente para o futuro PM e diz que são cuecas boxes. Ele recusa rapidamente dizendo que não as usa. Na verdade, era uma armadilha da Da Jung para descobrir que tipo de cuecas ele usa. Ela sai morrendo de rir ao descobrir. – Essa cena em especial é realmente hilária.













Em casa, Da Jung pesquisa sobre Kown Yul e descobre que a esposa dele havia morrido em um acidente. Ela se sente mal, pois havia feito uma pergunta referente ao momento mais difícil da vida dele, e ele se manteve calado. Por conta disso, ela resolve que fará um bom artigo. Ao começar a escrever, ela não consegue evitar pensar no futuro PM e suas cuecas – o que faz você rir junto com ela.


No dia seguinte, Da Jung tem um sonho bem maluco – típico dela. Ela sonha que seu artigo ficou famoso e em primeiro lugar nas buscas. Depois disso, vem o Chefe Kang e até Kown Yul parabenizá-la por tal ato tão grandioso. Detalhe que no sonho Kwon Yul entrega flores e dá uma piscadela – o que nos faz pensar se ela já não começou a gostar dele. Quando ela acorda, percebe que foi um sonho, mas então seu colega de trabalho bate na porta e diz que ‘algo’ ficou popular. Mas não foi exatamente o artigo dela e sim a reportagem que trazia a foto comprometedora dela com o futuro PM.

Por outro lado, Kown Yul também sabe da reportagem e do escândalo que se formou. As pessoas começam a pensar e inventar que ele está envolvido com uma estudante – por causa das roupas um tanto originais de Da Jung. É claro que tanto a Secretária Seo quanto o Chefe Jang tentam achar uma solução para isso. Uma das opções é colocar a culpa toda na Da Jung e dizer que ela se vendeu, em parceria com o Ministro Park, para conseguir uma boa reportagem. Obviamente ele recusa tal oferta. Por outro lado, Da Jung vai ao encontro de Kown Yul – um lugar cheio de repórteres onde obviamente é o lugar ideal para uma pessoa que está no centro de um escândalo – para tentar falar com ele. É claro que enquanto está tentando chegar ao escritório de Kwon Yul ela é perseguida por um repórter. Por fim, - talvez com a sua super capacidade de prever o que ia acontecer, ou só por que estava no caminho mesmo - Kwon Yul a puxa para perto de si e evita que ela seja descoberta pelo repórter perseguidor. O episódio termina com ela bem perto dele – provando mais uma vez minha teoria de que Da Jung e Kown Yul se atraem naturalmente.


Comentário

Tirando as coincidências típicas de um rom-com – e de dramas em geral – esse primeiro episódio foi muito bom. No começo, para algumas pessoas pode ser que a diferença de idade entre os personagens  - ou talvez principalmente entre ao atores – seja um pouco desconcertante. Alguns vão querer torcer pelo mais novo, mas acho que a química entre Yoona e LBS está incrível. Tanto que as cenas de interação dos dois são naturais e bem realistas. Kown Yul parece amargurado por algo do passado, o que explica a personalidade rígida. Kwon Yul não é rígido apenas com Da Jung, ele é com todos, não há uma acepção em relação a isso – os filhos, a secretária, o Chefe Kang, todos são tratados com a mesma rigidez, o que torna o personagem bem realista. Talvez com Da Jung dá a impressão de que ele seja mais ele mesmo, como se ela o tirasse da zona de conforto. 

Já Da Jung é um tanto espontânea. Mesmo tendo 28 anos, faz coisas que uma garota de 16 faria – Itazura na Kiss que o diga. Alguns poderiam dizer que ela é um tanto imatura, e eu diria que é apenas uma garota doce e forte. 

O fato de encarar a doença do pai e ainda sorrir e manter uma vida normal – atrás de escândalos – e não desistir só reforça esse lado. Ela se preocupa com pai e se sente triste por isso, mas não significa que a vida não continua. É como se ela soubesse que a vida tem suas dificuldades, mas que não vai ser por causa disso que ela vai deixar de sorrir e ser ela mesma, independente da idade. 

Eles naturalmente se atraem porque enquanto Kwon Yul se prende ao passado se tornando um pouco amargurado e fechado em si mesmo, Da Jung não se apega as dificuldades e interage sinceramente com todos.


~Juh

Ps: Talvez esse recap tenha ficado grande porque em geral os gringos fazem recaps maiores do que esses, mas tentarei diminuir um pouco na próxima. :P

6 comentários:

  1. É muito raro um dorama te prender no primeiro capitulo logo de cara, mas velho pense em uma resenha que é esses dois, eu rir pra caramba e pior foi de madrugada a ponto de painho acorda POKAJSKOPKSA'
    Esse ano graças a Deus foi um ano que os doramas me prenderam no primeiro capitulo ex: Secret, Master's sun S2 and I hear your voice, sem fala na decepção que foi the heirs pra mim é claro, mas voltando pro PM and I que foi o amor a primeira vista mesmo *oooo* #pronto falei
    Acho que foi o primeiro dorama que me fez rir nos primeiros minutos do dorama serio.
    a Yoona super linda, e me supreendeu , não assistir love rain parei no primeiro episodio pq foi chato só assistir por causa dela , e sem fala que não vou com a cara do geun suk ai ferro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. May, eu também parei Love Rain, primeiro que pulei toda aquela parte dos mais deles kkkkkkkkk Depois tentei assistir mas não deu, não me prendeu. Mas agora ela está ótima no papel. ~Juh

      Excluir
    2. É eu também tentei, fui ver o dorama não me agradou ai eu parei, dps fui ver li os review e os comentários do povo ai eu voltei baixei logo o 4 ep pra ver pra não ter o desculoas mas não me desceu de jeito nenhum, também pela parte dos pais que eu não aguentei , quando chegou na parte deles também foi ZzZzZ , ai falei pra me mesma, chega de se tortura nem a Yoona vale isso tudo ;/

      Excluir
  2. Olá!
    Sou nova por aqui e nos doramas.. mais adepta a series americanas, descobri por acaso os dramas asiaticos e estou apaixonada.. viciada kkkk
    Amei a sua review.. e to amando assistir esse dorama, ele é mesmo muito engraçado, mas também ja me fez chorar rsrsrs.. As vezes o PM da uma exagerada né rsrsrs. . esse primeiro episódio foi perfeito pra prender nossa atenção e querer assistir os demais.. estou no nono, já ansiosa pelo 10, muitas duvidas já foram desvendadas né. Continue escrevendo as reviews.. eu me amarro..

    PS: Me senti uma estranha.. eu consegui assistir o LR completinho rsrsrs.. Não gostei muito do final, mas assisti tudo!
    Beijoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eli! Que bom que você é mais uma das doramáticas. Não consegui assiti Love Rain todo, não fez muito meu estilo. Mas, se você ainda não assistiu, assista Master's Sun, I Hear Your Voice, Good Doctor, My Love From the Star (em andamento, mas também é ótimo), Rooftop Prince... Bem, esses são apenas alguns, mas super recomendo.

      Excluir

Comente, não custa nada e ainda nos dá uma motivação a mais! :)